Destaque

quinta-feira, 14 de junho de 2018

A cerimónia de abertura do Mundial de 2018


O Estádio Luzhniki, em Moscovo, com capacidade para 80.000 espectadores, foi o palco do evento e abrigou, na sequência, a primeira partida do torneio: a seleção anfitriã, a Rússia, contra a Arábia Saudita.

A diferença de outras cerimônias de abertura da Copa para esta é que a deste ano esteve focada nas apresentações musicais, e foi algo mais breve, acontecendo apenas meia hora antes do jogo inaugural. Seus protagonistas foram o cantor britânico Robbie Williams, que disse "estar muito contente e emocionado", e a soprano russa Aida Garifullina, considerada uma das melhores vozes do país.

Outro nome conhecido no evento  o ex-jogador Ronaldo, campeão mundial nos anos de 1994 e 2002 e eleito apresentador da cerimônia, além de representante brasileiro no primeiro dia do torneio.

Realmente, uma cerimónia bem preparada com muitas dezenas de figurantes. E o público ficou empolgado com as atuações do britânico Robbie Williams e da russa Aida Garifulina.

E foi gratificante ver Ronaldo Nazário representando todas as estrelas do futebol mundial. Um presente especial para o Ronaldo "Fenómeno". 

O JOGO - E, competitivamente falando, o pontapé-de-saída foi dado entre as seleções da Rússia e da estreante Arábia Saudita. A Rússia que não vencia um jogo desde outubro de 2017. Portanto, por todas as circunstâncias, era imperioso para os russos uma vitória na abertura do maior evento futebolístico do planeta. Em campo uma Arábia Saudita mais habilidosa e uma Rússia muito forte fisicamente. Para os russos um jogo de superação, para mais que chegaram ao intervalo a vencer por 2-0.

Na segunda-parte, pese embora o facto do jogo diminuir de intensidade (dentro da relatividade das coisas), a Rússia chegou aos 3-0, em mais uma bola de jogo aéreo e uma cabeçada certeira de um jogador recém-entrado. Digamos que foi feliz o técnico russo na substituição operada. E os russos, quase ao cair do pano, ainda tiveram tempo para aumentar o "placard" para 4-0. Este quarto  um autêntico golaço. Mas como estava o jogo de feição para os russos, veio o 5-0 na transformação de um livre direto. Este sim, a escassos segundos do final do jogo.

Goleada justa da Rússia que, assim, quebra um prolongado jejum de vitórias. E logo com a "torneira dos golos" aberta.

Um jogo sem casos e, como tal, não houve intervenção do vídeo-árbitro, novidade neste Mundial de 2018.





Nenhum comentário:

Postar um comentário