Destaque

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Expressões Populares Portuguesas e Brasileiras


A pedido de alguns amigos brasileiros, eis um pequeno dicionário de palavras e expressões populares portuguesas, bem como algumas expressões usadas no Brasil e as correspondestes em Portugal. Espero que seja de alguma utilidade. Abraços luso-brasileiros e, é claro, robertocarlisticos.

- Abade = homem gordo e pachorrento.
- Abadessa = mulher muito gorda e sem preocupações.
- Abafar = roubar; furtar.
- Abananado = aparvalhado; aturdido.
- Abelhudo = intrometido.
- Acordar com os pés de fora = estar mal disposto logo pela manhã.
- Acordar de cu pró ar = acordar mal disposto.
- Afanar = roubar.
- Alfacinha = alcunha dada aos lisboetas, habitantes da Cidade de Lisboa, por gostarem muito de alface.
- Ajuste de contas = ofensa física por ofensa anteriormente recebida.
- Aproveito a boleia = vou contigo; já que vais, eu também vou.
- Atarantado = atrapalhado; estonteado.
- Bacano/a = Um/a bacano/a, boa pessoa.
- Balda (À) = à vontade, à sorte.
- Baldas (dar umas) = normalmente aplica-se à mulher que se entrega facilmente.
- Balela = boato falso.
- Balúrdio = muito dinheiro (exemplo: aquilo custa um balúrdio, ele ganha um balúrdio).
- Baril = (Do) = incrível, fantástico.
- Barraca = escândalo, inconveniência.
- Barrete = enfiar o barrete, enganar ou ser enganado. - Bater a bota = morrer. - Bestial = óptimo.
- Bica = pequena chávena de café. Termo vulgarmente usado no sul de Portugal.
- Bico de obra = problema.
- Bode expiatório = aquele que suporta responsabilidades alheias.
- Bófia = polícia.
- Boleia = ir no carro de alguém. No Brasil = carona.
- Borracho = moça bonita; bêbado (“estar borracho”).
- Burrada = asneira; estupidez; burrice.
- Cabeça de alho chocho = distraído, esquecido.
- Cacau = dinheiro.
- Cachopo/a = rapaz, rapariga (termo antes muito usado e actualmente em vias de extinção).
- Calinada = pontapé na gramática; gafe; forma jocosa de se referir a um erro ortográfico.
- Cara de caso = estar preocupado; estar com ar comprometido.
- Carago = igual a caramba. Expressão de ânimo ou desânimo muito usada no Norte de Portugal, em especial os portuenses, naturais da cidade do Porto, que são os que mais usam esta expressão.
- Caramba = expressão de ânimo ou desânimo.
- Cardina = bebedeira.
- Carioca = pequena chávena de água quente com uma pequena casca de limão.
- Carioca de café – pequena chávena de café, contendo mais água do que café. - Carola = Aquele que se dedica a uma causa sem qualquer interesse material para ele próprio.
- Carolice = referente ao “carola”, que faz tudo por carolice.
- Cascalho = dinheiro em moedas.
- Catraio/a = rapaz, rapariga.
- Caso bicudo = assunto complicado, complexo.
- Chaço = automóvel velho e/ou fraco.
- Chavalo/a = rapaz, rapariga.
- Chui = polícia.
- Cimbalino = o mesmo que uma pequena chávena de café. (termo antes muito usado na cidade do Porto e actualmente em desuso).
- Cinco estrelas = muito bom. - Com conta, peso e medida = com moderação.
- Cusco = Cuscovilheiro. No Brasil = fofoqueiro.
- C’os diabos! = expressão de espanto. No Brasil = puxa vida!, minha nossa! - Dar a mão à palmatória = quando alguém reconhece que está errado.
- Dar a palmada = roubar.
- Dar com a língua nos dentes = denunciar; revelar alguma coisa, algum segredo. No Brasil = pôr a boca no trombone.
- Dar o badagaio = cair para o lado; desmaiar; ter uma síncope.
- Dar o braço a torcer = o mesmo que ”dar a mão à palmatória".
- Dar um giro = dar um passeio, passear.
- Dar uma achega = contribuir; dizer mais qualquer coisa sobre algo.
- Dar uma no cravo e outra na ferradura = não tomar partido; estar ora dum lado de uma disputa ora do outro.
- Dar uma volta = dar um passeio, passear “dar um giro”.
- De fio a pavio = de uma ponta à outra; com todos os pormenores.
- É de gimbolo = incrível, fantástico “baril (é do)”.
- É muita areia para a minha camioneta = é demasiado para mim; é complicação a mais para mim.
- Emborcar uns canecos = beber uns copos.
- Endrominar = enganar.
- Enfiar a carapuça = sentirmo-nos atingido por uma alusão que nos é feita.
- Enfiar o barrete = enganar.
- Engatar = conquistar.
- Engraxar = elogiar alguém apenas para colher dividendos.
- Enquanto o diabo esfrega um olho = fazer qualquer coisa rapidamente.
- Entre a espada e a parede = em situação embaraçosa e sem saída.
- Escovar = o mesmo que “engraxar”.
- Estar bem com Deus e com o Diabo = não tomar partido; manter-se neutro.
- Estar metido num molho de brócolos = estar metido numa grande confusão.
- Estar pelos ajustes = concordar com ou em fazer alguma coisa.
- Estar-se marinbando = não se importar, não se preocupar.
- Estar-se nas tinhas = não se importar, não se preocupar.
- Estrangeirinha = problema; o mesmo que “bico de obra”.
- Fanar = roubar; o mesmo que “afanar”.
- Fino = copo alto com cerveja. Termo vulgarmente usado nos cafés e restaurantes do Porto e norte de Portugal. Em Lisboa e sul do país pede-se “Imperial”.
- Fixe (ou fiche) = óptimo.
- Foleiro = diz-se do que não presta.
- Gajo/a = rapaz, rapariga. - Gamanço = roubo.
- Gamar = roubar. - Garoto/a = rapaz, rapariga.
- Garoto = Termo vulgarmente usado nos cafés e restaurantes. Pequena chávena de café com um pouco de leite. No Porto pede-se um “pingo”.
- Giro/a = bonito/a, engraçado/a.
- Graveto = dinheiro. - Gritar a plenos pulmões = gritar com toda a força.
- Imperial = copo com cerveja. Termo vulgarmente usado nos cafés e restaurantes de Lisboa e sul de Portugal. No Porto e norte do país pede-se “Fino”. Pede-se “Imperial” para um copo maior.
- Ir aos arames = enervar-se; irritar-se; ficar furioso.
- Ir desta pra melhor = morrer. - Judite = Polícia Judiciária.
- Leva a bicicleta/taça = emprega-se quando, numa discussão, um dos intervenientes desiste, dando razão ao outro mesmo que a não tenha.
- Levar a cruz ao Calvário = fazer grandes sacrifícios na vida; ter uma vida de sofrimento.
- Levar a peito = levar a sério; transpor para o plano pessoal; ofender-se.
- Levar a sua conta = apanhar uma sova, uma tareia.
- Lixado/a = chateado/a, zangado/a.
- Malta = amigos, gente. No Brasil = turma, galera.
- Mãos-leves = aquela que rouba; carteirista.
- Maralha = amigos, gente. No Brasil = turma, galera.
- Marimbar = não se importar, não se preocupar.
- Marmelada (fazer marmelada) = carícias amorosas.
- Massa = dinheiro. - Meter a viola no saco = calar-se.
- Meter água = errar, dar escândalo.
- Meter macaquinhos na cabeça = confundir alguém.
- Meter o rabo entre as pernas = submeter-se, calar-se.
- Meter-se numa alhada = meter-se numa confusão.
- Moço/a = rapaz, rapariga.
- Muita parra pouca uva = muita palha; muita coisa inútil; (por ex: alguém que fala muito mas no fundo não diz nada que se aproveite)
- Música (Dar) = convencer, iludir, lisonjear.
- Nabo = pessoa inexperiente.
- Não há crise = não há problema.
- Nicado/a = chateado/a, zangado/a. O mesmo que “lixado”.
- Nicles = nada. - Pá = rapaz ou rapariga.
- Papa-açorda = papa-mole, pessoa mole, sem iniciativa, indolente.
- Paleio = conversa.
- Palha = tudo o que se escreve num texto e não o valoriza, destinando-se apenas a ocupar espaço (o que se espera não ser o caso deste texto eheheheheh).
- Palmar = roubar. - Panca = mania, maluquice.
- Parolo = pessoa rude, sem educação.
- Parvalhão = grande parvo. No Brasil = bobão, grande bobo.
- Pêta = mentira.
- Pilim = dinheiro.
- Pinga = Pouca quantidade de uma bebida.
- Pingo = pouco.
- Pingo = Termo vulgarmente usado nos cafés e restaurantes. Pequena chávena de café com um pouco de leite. Em Lisboa pede-se um “garoto”.
- Pôr a cabeça em água = cansar; fazer perder a paciência.
- Pôr-se a pau = estar atento.
- Porreiro = óptimo.
- Prato (Um) = aquele que é folgazão, que tem piada.
- Puto = criança pequena. Usada no feminino, esta palavra apenas se aplica às mulheres que exercem aquela que dizem ser a mais antiga profissão do mundo. - Rámôna = polícia (ver, também, “bófia”.
- Sair o tiro pela culatra = diz-se quando alguém arquitecta algo que inesperadamente lhe sai ao contrário e contra ele.
- Saloio = pessoa rude, sem educação
- Só enfia o barrete quem quer = só se deixa enganar quem quer.
- Ter um treco = ter um ataque de coração.
- Ter lata = ser descarado.
- Tirar uns nabos = carícias amorosas. Igual a “marmelada”.
- Tirar uns troços = carícias amorosas. Igual a “tirar uns nabos e a “marmelada”.
- Tripeiro = alcunha dada aos portuenses, habitantes do Porto, por, durante a saga das conquistas, terem oferecido a uma das expedições toda a carne existente na cidade, ficando apenas com as tripas com que se alimentaram. “Tripas à moda do Porto” é o prato mais típico da Cidade do Porto. O autor deste texto é tripeiro de gema.
- Troca-tintas = que muda de opinião ou ideologia facilmente; traidor; No Brasil = vira casaca.
- Um banana = uma pessoa mole, sem vontade, sem personalidade. 

CÁ E LÁ Brasil - Portugal

abridor de garrafas ------ abre-garrafas, abre-cápsulas
abridor de latas ------ abre-latas
água-viva ------ alforreca ou medusa
alho-poró ------ alho-porro
aquarela ------ aguarela
arquivo (de computador) ------ ficheiro
aterrissagem ------ aterragem
banheiro ------ casa de banho, quarto de banho, WC
brócolis ------ brócolos
caminhão ------ camião
carona ------ boleia
carro conversível ------ carro descapotável
carteira de identidade/RG ------ bilhete de identidade/BI
carteira/carta de motorista ------ carta de condução
concreto ------ betão
diretor (de cinema) ------ realizador
esparadrapo, bandeide ------ penso, penso-rápido
fila de pessoas ------ fila, bicha
fones de ouvido ------ auscultadores, auriculares, fones
gol ------ golo
grampeador ------ agrafador
maiô ------ fato de banho
mamadeira ------ biberão
metrô ------ metro, metropolitano
nadadeiras, pé-de-pato ------ barbatanas
ônibus ------ autocarro
perua, van ------ carrinha
salva-vidas ------ nadador-salvador, banheiro
secretária eletrônica ------ atendedor de chamadas
sunga ------ calções de banho, calção de banho
(telefone) celular ------ telemóvel
terno ------ fato
trem ------ comboio

2 comentários:

  1. Muito fixe esse dicionário, com certeza nos será muito útil, pois além de aprimorar nosso conhecimento, será de grande valia para melhor entender alguns termos usados pelos nossos queridos Amigos de Portugal.
    Obrigada menino Armindo Guimarães, és um Gajo porreiro, pá!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eheheheh Menina Albinha, gostei dessa "és um Gajo porreiro, pá!". Em brasuca, seria: "Cê é um cara legal, bicho!". :)

      Excluir

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES
clique na imagem para ver os perfis