Destaque

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Portugal-China na calha nos vinte anos da transferência de administração



As selecções de futebol de Portugal e da República Popular da China podem vir a defrontar-se em 2019. A hipótese, discutida entre Alexis Tam e o ministro da Educação do Governo de Lisboa, Tiago Brandão Rodrigues, teria como finalidade celebrar os 20 anos do regresso de Macau à soberania chinesa, mas também os 40 anos do estabelecimento de relações diplomáticas entre Portugal e a República Popular.

O território pode vir a acolher um novo encontro entre as selecções de futebol de Portugal e da República Popular da China. A possibilidade foi abordada entre dirigentes do Executivo da RAEM e do Governo de Lisboa. Alexis Tam , secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, e Tiago Brandão Rodrigues, Ministro da Educação do Governo de Lisboa, discutiram a hipótese do 40.º aniversário do restabelecimento das relações diplomáticas entre Portugal e a China e o 20.º da transferência de Macau poder vir a ser assinalado, em 2019, com um jogo de futebol entre as duas seleções. O anúncio foi feito pelo Governo de Macau, em comunicado.

Na nota de imprensa, o gabinete do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura revelou que as duas datas redondas, que coincidem em 2019, poderão ser celebradas “através do desporto, nomeadamente através de um jogo entre as seleções chinesa e portuguesa a realizar em Macau”.

O desejo de realizar o desafio foi expressado durante um encontro do secretário Alexis Tam com o ministro da Educação português, Tiago Brandão Rodrigues, realizado na quarta-feira passada.

Ainda no âmbito do desporto, os dois governantes “concordaram que Macau tem condições únicas para ajudar na preparação das selecções olímpica e paraolímpica portuguesa para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020”.

Segundo o mesmo comunicado, foram discutidos também assuntos de cariz cultural, com secretário de Macau a indicar que o Festival Juvenil Internacional de Dança 2018 vai incluir grupos em representação de Lisboa, do Porto e de Coimbra.

No que toca à educação, Tiago Brandão Rodrigues e Alexis Tam manifestaram a intenção de replicar com outras escolas o projecto de geminação entre a escola Pui Ching, de Macau, e o agrupamento de escolas das Laranjeiras. A ideia é que o modelo possa ser reproduzido “com as escolas que ministram os cursos de português em Macau e as escolas que ministram o ensino de chinês em Portugal”.

“Neste sentido, e para facilitar o intercâmbio, concordou-se em desenhar um instrumento de cooperação que possibilite a criação de uma plataforma para que as escolas interessadas possam estabelecer os primeiros contactos”, é indicado no comunicado.

Será que à terceira é de vez para a China?


Caso o desejo de Alexis Tam e de Tiago Brandão Rodrigues ganhe substância e Portugal e a China voltem a esgrimir argumentos, o desafio será o terceiro entre as duas selecções. As duas formações nunca se defrontaram em desafios oficiais e o primeiro encontro entre ambas as equipas teve Macau como denominador comum, num período de grande relevância para as duas selecções.

Afastada da fase final de um Campeonato do Mundo de Futebol desde 1986, a selecção das Quinas encerrou no território o período de preparação para o regresso aos grandes palcos da modalidade, depois de ter garantido a presença no Mundial da Coreia e do Japão. Para a China, a prova teve ainda uma maior relevância: a competição pautou a estreia da selecção chinesa em Mundiais de futebol, uma presença que nunca mais conseguiu voltar a repetir.

A 25 de Maio de 2002, num Estádio da Taipa que registou uma das suas maiores enchentes, a formação das Quinas coroou um polémico estágio no território com uma vitória por 2-0 frente à China. Os golos foram apontados aos 41 e aos 62 minutos e tiveram a chancela de Nuno Gomes e de Pauleta.

Portugal e China voltariam a esgrimir argumentos oito anos depois, desta feita em território português. Com as duas formações inteiramente renovadas, a selecção portuguesa – orientada por Carlos Queiroz – voltou a vencer por 2-0, numa partida de preparação para a fase final do Campeonato do Mundo da África do Sul disputada no Estádio Municipal de Coimbra. Os tentos do desafio, que se disputou a 3 de Março de 2010, foram apontados por Hugo Almeida, aos 35 minutos, e por Liedson, já depois do fim do tempo regulamentar. O golo do avançado luso-brasileiro foi um dos quatro que o antigo jogador do Sporting e do Futebol Clube do Porto apontou com a camisola da selecção portuguesa de futebol.

Um comentário:

  1. Estive em Macau uma semana a convite do último governador português naquela ex-província portuguesa. O General Rocha Vieira com quem sempre mantive uma contínua ligação quando ele foi empossado no caro de Ministro da República para a Região dos Açores. Depois, seguiu para Macau para substituir o tão polémico Melancia.

    ResponderExcluir

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES
clique na imagem para ver os perfis